domingo, 29 de dezembro de 2013

Avaliação (Review) - Lixadeira Roto Orbital (Excêntrica) Bosch GEX 125-150 AVE: Vale a pena? É boa? Opinião.

E aí pessoal, tudo bem?

Venho hoje aqui trazer uma avaliação sobre uma ferramenta, trata-se da lixadeira roto orbital (excêntrica) Bosch GEX 125-150 AVE.

Para quem não conhece, essa lixadeira é a "evolução" da GEX 125. Muitas pessoas optam pela GEX 125 pelo custo, muito convidativo, porém é natural que ao amadurecer os planos de uso desta ferramenta muitas vezes agente mude para algo mais completo que atenda melhor as nossas necessidades.

Vamos ao review?

 

A primeira coisa que eu martelei no vídeo foram as lixas de 125mm 8 furos:

Porquê disso?

Em alguns locais é muito complicado achar esse material, sendo muitas vezes necessário algum tempo de busca na internet para encontrar esses discos de lixa. À partir daí, agente tem que ficar preso à compra on-line, o que em um momento de emergência pode ser um transtorno. Já rodei aqui em Curitiba e digo que é praticamente impossível encontrá-las em lojas de tinta automotiva e afins, que possuem somente os discos "comuns" de 6 furos.
Aí ficamos presos às originais Bosch, que são caras e normalmente só se vendem em cartelas com 5 unidades. Ora, se somos hobbystas, muitas vezes não temos a necessidade de comprar essa quantidade de lixas, não é mesmo?

Bom, para este ponto, deixo aqui o link de um eshop que possuí lixas para a configuração 125mm - 5 polegadas 8 furos da 3M série ouro (hookit muito popúlar no mercado e minha preferida até então):

http://tintasvirtual.mercadoshops.com.br/

Pontos não mencionados que valem a pena o destaque:

1. Cabo: 100% emborrachado ajuda bastante, principalmente para os adeptos do uso dele por cima do ombro, para evitar qualquer tipo de acidente. Outro ponto é seu comprimento, maior que o da GEX 125-1 AE. Maior flexibilidade também é um fator legal à ser mencionado.

2. Acessórios: Vem de certa forma completa, porém, pelo preço, creio que seria de muita valia se fosse enviado uma boina para polimento, pois sempre é mecionado que esta máquina é capaz de fazer este tipo de serviço e eu acho que seria muito interessante por isso à prova com as boinas que eles oferecem como acessório para este tipo de serviço. Não entrarei em detalhes, porém gostaria sim de ver algo neste sentido, mesmo que tendo uma opinião cética sobre o assunto.

3. Caixa: Acomoda muito bem a máquina, bem espaçada e para quem gosta de conservar as coisas, certamente terá uma vida útil muito prolongada dela guardada corretamente.

4. Pratos: Seria muito interessante um prato 125mm com 6 furos, mas isso dificilmente acontecerá.

Essa lixadeira é de longe a mais completa por aqui, com ampla gama de recursos que dificilmente iremos encontrar em lixadeiras roto orbitais elétricas semelhantes. Para pessoas que torcem o nariz para hookits elétricas, tá aí uma boa pedida com muitas vantagens que podem ser decisivas na sua oficina na hora de deixar de lado a ferramenta pneumática, que é sem dúvida uma boa escolha para larga escala de produção.

Vou ficando por aqui pessoal.

Um abraço e até a próxima! ;D

terça-feira, 24 de dezembro de 2013

Curso Online de Polimento Automotivo em Vídeo Aulas: Como polir seu carro com politriz

Bom dia pessoal, tudo bem?

Para quem acompanha o canal sabe que a última série de vídeo aulas foi um roteiro passo a passo para polimento automotivo utilizando politriz roto orbital, desenvolvido em parceria com a Miromi Tintas utilizando produtos NSWAX e Lake Country.

Aqui está o link para todos os vídeos da série:

Lista de Vídeos no canal rodrigogsi - Youtube

Nestas vídeo aulas falamos sobre todos os passos necessários para fazer um polimento automotivo utilizando politriz, boinas de espuma e produtos para polimento.

Confira pois o material é muito completo!

Referências:

Polimento Automotivo: Técnica de movimentação e polimento com politrizes.

Lake Country CCS + NSWAX Linha Suprema: Escala de Abrasividade com Roto Orbital

Um abraço!

Obrigado!

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Compressor de ar e pistolas de pintura: Como escolher? Vazão (PCM, CFM), Pressão, Filtro de Ar e Dicas sobre uso

Olá pessoal, tudo bem com vocês?

Estou aqui hoje para sintetizar para vocês algumas dúvidas que recebi ao longo do ano referentes à compressor de ar e pistolas de pintura.

Muitas pessoas me perguntam qual compressor ou qual pistola de pintura comprar para a finalidade X, tendo em vista estas dúvidas, resolvi fazer um novo vídeo com a finalidade de esclarecer melhor o assunto focando no parâmetros básicos de um compressor de ar (vazão e pressão) e respondendo no vídeo qual o equipamento indico para os seguintes cenários:





  • Pintura residencial (janelas vazadas, grades de portões, etc).






  • Pintura de instrumentos musicais.






  • Pintura automotiva peça à peça.






  • Aerografia e outros.



  • Partindo deste princípio, recomendo as seguintes especificações de compressores de ar e pistolas de pintura:

    Compressor de Ar 24 ou 30L (5 PCM ou mais)

    Pintura em pequenas peças, instrumentos musicais, aerografia, pintura de portões e janelas, grades e afins.

    Qual pistola utilizar? 


    • LVLP Bico 0.8 ou 1.0mm ou K3 com bico 0.5mm.
    No geral, utilizar pistolas com consumo de ar de no máximo 5 PCM / CFM (PCM = CFM e significa pés cúbicos por minuto, medida diretamente relacionada a produção de ar de seu compressor, medida em pés)


    Compressor de Ar 50 litros (7 PCM ou mais)

    Pintura em pequenas peças, instrumentos musicais e aerografia.

    Qual pistola utilizar? 


    • LVLP Bico 0.8 ou 10mm ou K3 com bico 0.5mm.
    • HVLP HG 10 com bico 0.8mm ou 1.0mm.
    • LVLP Arprex 827 (somente para repintura automotiva).

    Via de regra, o ideal é utilizar qualquer pistola de pintura que consuma entre 5 e 7 PCM / CFM e tenha pressão de trabalho de até 60 libras.

    Dicas sobre as pistolas de pintura e seus variados tipos, tire suas dúvidas!


    1. Como funciona uma pistola de pintura por gravidade?
    2. Como funciona uma pistola de pintura por sucção?
    3. O que é HVLP?
    4. O que é LVLP?
    5. O que é uma pistola de pintura de alta produção?
    6. O que é uma pistola de pintura de média produção?
    7. O que é uma pistola de pintura de baixa produção?
    8. Qual a diferença entre bico 1.0 e 1.4? 1.4 e 2.0?
    9. Qual a diferença em usar bicos maiores ou menores quando estive pintando?
    10. Qual é o compressor necessário para usar uma pistola de pintura profissional?
    11. Qualquer compressor funciona com pistolas HVLP?
    12. O que é melhor pistola por sucção ou gravidade?
    13. Dicas de uso de pistola de pintura.
    14. Como limpar a pistola de pintura corretamente?
    15. Como regular a pistola de pintura para pintar?
    16. Como pintar com uma pistola de pintura?
    17. Tudo sobre pistola de pintura HVLP.



    Importante: 


    1. Filtro de Ar é fato decisivo na qualidade da pintura. Sua função principal é filtrar o ar que vem do reservatório de modo à remover sujeira, óleo e água, deixando-o estéril para uso na pistola de pintura. Isso evita contaminação da pintura.
    2. O regulador de pressão (caso o compressor não possua o regulador acoplado) é fundamental para o uso correto de sua pistola de pintura.Sua função é fazer com que sua pistola de pintura (ou equipamento pneumático) opere nas condições ideais de pressão, evitando danos ao equipamento e fazendo com que a atomização ocorra de maneira correta.
    Confira nosso vídeo sobre filtro de ar, instalação, manutenção, como funciona, como usar e etc:


    Qual compressor usar para pintar um carro inteiro?



    Linha de ar, acessórios, mangueiras, manutenção de compressores, dicas de como trabalhar com compressores de ar e pistolas de pintura, purgadores, dimensão de mangueiras para compressor, tamanho máximo das mangueiras no compressor e etc:

    - Dicas sobre mangueiras e linha de ar.
    - Dicas sobre rede elétrica.
    - Como funciona a vazão, a pressão de trabalho e os impactos destes fatores em conjunto
    com a linha de ar e o equipamento utilizado junto com o compressor de ar.
    - Problemas da umidade e falta de filtro de ar.
    - Filtro de ar: Para que serve, comparativo sobre diversos modelos, manutenção.
    - Aspectos sobre manutenção do compressor de ar.
    - HVLP X LVLP: Comparativo entre modelos.
    - Aspectos sobre bicos: Pressão e seu impacto sobre a vazão e pressão das pistolas de pintura.

    - Aspectos sobre engate rápido, conexões de linha de ar, padrões e etc.





    O básico sobre uma pistola de pintura HVLP: Regulagem, uso, desmontar a pistola, kits de bico e capa de ar, modelos chineses e etc:



    Outro ponto de vital importância é que essas dicas valem para fins de hobby. Para fins profissionais (serviços diários) deve-se procurar outras alternativas.

    Como usar, regular e pintar com uma pistola de pintura corretamente?

    Clique aqui e confira nossas vídeo aulas.

    Demonstração de uso, funcionamento e atomização de uma pistola de pintura por gravidade:





    Como funciona um compressor hobby de 50 litros? Como usar um compressor pela primeira vez?



    Um abraço pessoal!

    www.rodrigogsi.com.br

    Loja virtual com kits especiais: rodrigogsi.tudonavitrine.com.br

    Loja no Mercadolivre: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_75922527



    vendas@rodrigogsi.com.br


    Obrigado!

    Tags: como escolher compressor, como usar compressor de ar, como escolher pistola de pintura, qual pistola de pintura comprar, compressor 24 litros qual pistola usar, compressor de 20 litros qual pistola usar, compressor de 50 litros qual pistola usar, qual pistola comprar para pintura automotiva, qual compressor usar para pintar o carro inteiro, qual compressor comprar para oficina, qual compressor comprar para funilaria e pintura, o que é pcm, o que é cfm, como escolher pistola de pintura para compressor, 

    domingo, 15 de dezembro de 2013

    Lixar com Hookit (Lixadeira Roto Orbital) - Cuidados e Dicas Gerais para não danificar seu equipamento e fazer um lixamento correto

    Olá pessoal, tudo bem?

    Hoje estou aqui apresentando para vocês um vídeo no qual demonstro o lixamento de forma errada e de forma correta. O ponto chave deste trabalho é demonstrar para vocês os danos que ocorrem no prato de nossas lixadeiras quando trabalhamos de forma errada, lixando a área reparada com a lixadeira inclinada sobre a superfície à ser lixada.

    O trabalho: Lixamento de massa rápida automotiva, aplicada de maneira errada à fim de deixar a superfície completamente rugosa e irregular, em uma área de trabalho difícil (pequena peça com detalhes, induzindo ao erro de lixarmos com a máquina inclinada, o que seria muito mais fácil e atrativo).

    O que ocorre na situação de nivelamento de massa inicial? Normalmente adotamos o lixamento com taco (manual) à fim de remover as rebarbas iniciais da massa aplicada, para aí então partirmos para o uso da lixadeira, porém, não são raros os casos aonde encontramos pessoas lixando com a lixadeira inclinada, sendo essa uma prática dita como comum em algumas oficinas.

    Tomando como base o cenário que quero ilustrar, no vídeo demonstro os efeitos sobre o prato e sobre a lixa de um lixamento incorreto, sobre massa aplicada de maneira incorreta além de demonstrar o uso correto da lixadeira sobre a superfície plana, com uso de uma interface de borracha para proteção do prato original da lixadeira.

    Material utilizado:

    - Lixadeira Roto Orbital Bosch GEX 125-150 AVE.
    - Lixa Ouro 3M grão P220.
    - Interface Hookit EVA 6¨ 6 Furos.

    Vídeo:


    Observações gerais:

    Embora seja um procedimento para muitos tido como simples, o profissional deve estar sempre atento à pontos chave no momento do lixamento em reparação automotiva ou qualquer outro trabalho de lixamento de alto nível:


    • Nivelamento Correto: Operar a máquina, seja ela de corte reto (angular) ou roto orbital, da maneira correta à fim de evitar ondulações na chapa.
    • Uso de mecanismo de amortecimento de impacto quando necessário.
    • Respeitar os limites e mecanismos de operação do seu equipamento.
    Gostou do assunto?

    Confira a série completa sobre lixamento em funilaria e pintura acessando a lista de vídeos clicando aqui!

    Obrigado pessoal. Até a próxima!

    Um abraço!

    domingo, 8 de dezembro de 2013

    Lixar e Polir com Furadeira na bancada - Dicas e Truques 1: Lixando e polindo LEDs e acrílicos em geral.

    Olá pessoal, tudo bem com vocês?

    Hoje estamos aqui para falar sobre um assunto no minimo interessante: Lixar e Polir a cabeça dos leds alto brilho para transforma-los em leds de cabeça chata. 

    Qual o motivo desse trabalho? Muitas vezes compramos LEDS alto brilho e precisamos que eles tenham seu feixe de luz mais aberto, com angulo maior. Precisamos então recorrer ao mecanismo de lixamento e polimento para torná-los capazes de espalhar a luz, perdendo seu foco e alcance e ganhando a capacidade de clarear uma área maior ao seu redor.

    Isso é importante quando trabalhamos com iluminação do interior de pequenas áreas, como uma caixa ou até mesmo o interior de um veículo (nosso caso).

    Mas o intuito de nosso tópico é um pouco mais abrangente pois irei mostrar aqui uma combinação de equipamentos comuns do dia a dia do polimento automotivo, alguns acessórios de uso em lixamento com máquinas e como eles todos nos ajudarão à ser capazes de lixar e polir peças de maneira simples (básica) porém com boa margem de qualidade, tendo um excelente acabamento final.

    Nosso trabalho de hoje: Lixar a cabeça dos LEDS alto brilho 5mm para torná-los cabeça chata.

    Material Utilizado:

    1x Adaptador Rosca M14 ou 5/8 (dependendo dos pratos que tem disponível) para furadeiras).
    1x Prato para Politriz / Lixadeira 4, 5 ou 6 polegadas.
    1x Interface de Espuma para hookit (recomendo para ter maior facilidade em operar a máquina, principalmente quando for operar a furadeira sobre a peça, e não apoiar a peça sobre a furadeira).
    1x Disco Hookit P320 à seco.
    1x Disco Hookit P1200 à seco.
    1x Boina de Feltro (eu utilizo uma que eu mesmo fiz, entre 3 e 4 polegadas, somente para esta finalidade).
    Massa de polir nº 2 à base d'água à sua escolha.
    Furadeira.
    EPIs, paninhos de algodão para limpeza, etc...

    Em se tratando deste mecanismo, não aconselho uso de lixas à base d'água para não danificar a furadeira e os LEDS.

    Conceito: Aqui nossa ideia é apoiar a furadeira na mesa à fim de deixa-la firme para que com uma mão possamos acionar o gatilho e com a outra, na vertical, pressionarmos os leds contra a lixa. Isso é algo semelhante à um esmeril de bancada. Utilizando todos os acessórios em conjunto com a interface, esse tipo de trabalho se torna fácil e simples, sem muita complicação, como você pode ver nas fotos abaixo:


    Material

    Disco de Lixa Hookit 6" + Interface 6"

    Mini morça

    LEDS lixados


    Cuidado com o lixamento! Não lixe demais, apenas nivele o led para remover o chapeuzinho. Após remove-lo, troque o disco de lixa para o P1200 e de uma passada leve, somente para remover as marcas de lixa 320. Isso trará um acabamento perfeito aos leds, removendo por completo as marcas de lixa.

    Polimento: Feito isso, adapte o disco de feltro na furadeira e com uma esponja, apenas manche os leds com a massa de polir, sem borrifar água na esponja, leds ou no disco de feltro.

    Acione novamente a furadeira e vá lustrando os leds até retornar o brilho.

    Ao final, você terá seus leds ou peça acrílica com um acabamento excelente e de alto brilho!


    Disco de Feltro para Polimento
    LEDS Polidos
    Nota: Os leds foram lixados somente com a lixa P320, portanto, o brilho foi recuperado porém as marcas de lixa não foram completamente removidas no meu caso, por isso é necessário uso do disco de lixa P1200 (no minimo) ao final do lixamento.

    Esse mecanismo pode ser utilizado para N fins, aqui está somente um passo a passo com dicas sobre uma maneira de fazer um lixamento seguido de um polimento (básico) com a sua furadeira. Nas fotos vocês podem ver o que utilizei para prender os leds, a mini morça é algo que quebra um galhão nesse ponto. Em breve teremos vídeos sobre LEDS no canal e esse é nosso aquecimento para o assunto.

    Este é um procedimento de "polimento de bancada", algo que pode ser aprimorado e utilizado para tarefas variadas, dando agilidade em muitos aspectos em nossas atividades. Antigamente eu fazia esse tipo de lixamento e polimento segurando os leds nos dedos, sem usar luvas, tendo em vista que perdia o apoio e etc, portanto poder hoje fazer algo muito mais rápido sem forçar meus dedos e pulso, é algo muito bom :).

    Deixo a dica e meu obrigado pessoal!

    Um abraço e até a próxima!


    sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

    Diferença: Peça Vitrificada VS Peça Encerada com Manutenção à Seco (aplicação de Quick Detailer), Proteção de Pintura

    Olá pessoal, tudo bem?

    Hoje em uma passada rápida pelo blog trago um assunto que deixei de lado devido à outras prioridades:

    Nosso bate papo sobre vitrificação.

    E aí Rodrigo, cadê o 206? Bom, ele está rodando muito e tomando muita "pancada" (entende-se pancada a ação do tempo sobre o carro, nada de batidas e etc, apenas uso cotidiano) pelas ruas à fora :D. 

    O carro está rodando bastante e viajando bastante, portanto: Nossa avaliação de resistência extremamente forçada será feita ao final de um ciclo de 6 meses, devido à muita coisa que tive que fazer tanto relacionada ao trabalho e estudo como relacionada à própria parte do Youtube, RGR, NSWAX e por aí vai.

    Já peço desculpas à vocês por ter falhado nesse compromisso de fazer posts mensais, porém, não foi possível mesmo.

    Mas vamos lá!

    Nosso assunto é o seguinte: 

    Qual a diferença entre uma peça vitrificada e uma peça encerada, após uma manutenção básica e algum tempo de uso?

    As imagens irão dizer!

    Vitrificador NSWAX

    Nesta peça o vitrificador foi aplicado da maneira ideal, duas camadas com intervalo pré definido. A aplicação foi feita à cerca de 2 meses atras e essa foto é da chuva dos últimos dias.

    Cera líquida NSWAX

    Nesta peça foi aplicada cera de carnaúba (paste wax) à cerca de 3 meses. Após isso, esta semana foi feita uma manutenção à seco (estilo dry wash), utilizando a cera líquida de carnaúba ("quick detailer") para remoção de pequenas manchas e contaminações. Portanto: Camada de cera original comprometida, devido ao fato da alta carga de agentes de limpeza contidos na cera líquida utilizada.

    Aí você me pergunta: 

    Qual a diferença? Nas fotos, ilustramos o fato da concentração maior da água em alguns locais, isso se traduz na proteção da pintura e na camada de proteção existente, e também em sua qualidade e durabilidade, obviamente. Mas...vamos mais adiante..qual é a real vantagem disso? 
    Além da proteção, certamente a facilidade de manutenção e economia.
    Economia? É pessoal..poupamos o meio ambiente com isso! Economizamos água! Lembre-se sempre que esses produtos todos tem que trazer vantagem ao nosso dia a dia, não apenas serem frutos de esforço na aplicação e futilidade como muitos por aí pregam.

    Enfim com mais 2 fotos fechamos o nosso bate papo com a seguinte afirmação:



    Secou está novo! No máximo uma pequena ducha d'água já eliminamos grande parte da sujeira presente no automóvel, sem prejudicar o vitrificador. Nossa cera líquida levemente, visto que ela dura até 15 dias sobre a pintura de maneira adequada. 

    Chegando ao fim do nosso post mostro para vocês (a meu ver) a real vantagem do uso de diferentes compostos com características distintas porém com a mesma função: Proteção da pintura e meio facilitador de limpeza do seu carro, mantendo brilho e aparência sempre intactos.

    Cabe a nós optar pelo que mais se enquadra em nosso dia a dia e em nossas expectativas, além é claro de avaliar a relação custo X beneficio de empregar um montante X em um produto Y ao invés de Z em W.

    Um abraço pessoal!

    Até a próxima!

    quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

    Polimento em Metais: Discos de Jeans para Politriz

    Olá pessoal, tudo bem com vocês?

    Falando um pouco sobre polimento de metais, hoje venho apresentar para vocês o conceito do polimento em metais com discos de tecido jeans.

    Tendo em vista a versatilidade do material, podemos utiliza-lo tanto com produtos específicos para polimento de metais (pedras de polimento diversas) e massa de polir automotiva.

    Um dos pontos principais é o grau de abrasividade do mecanismo utilizado, que é muito forte, não sendo recomendado para outros tipos de serviço nas mesmas circunstâncias.

    O modelo de boina que estou mostrando neste post é um disco, semelhante à uma lixa, para ser acoplado diretamente sobre as interfaces de espuma para lixamento e polimento de pintura automotiva (conheça as interfaces clicando aqui).

    Uso:

    - Remoção e nivelamento de pintura com casca de laranja severa, fazendo em uma etapa o lixamento e corte.
    - Polimento em metais e remoção de oxidação em chapas metálicas.
    - Polimento de jóias.
    - Polimentos diversos.


    Ponto de atenção:

    - Aquecimento: Devemos tomar muito cuidado com o aquecimento no caso de remoção de casca de laranja, pois aquece muito, sendo recomendado a lubrificação do disco borrifando levemente água sobre a boina.

    Pode ser utilizado com qualquer tipo de politriz inclusive com furadeira e lixadeiras roto orbitais, para polimentos diversos.

    Teremos disponível também um disco especifico para uso com micro retifica, que ainda está em processo de testes.

    Fotos:

    Boina (disco) Jeans e Interface 5"

    Peça ainda sendo trabalhada:


    Inox Antes

    Área em 50% em tempo de polimento trabalhada (polimento não terminado devido à falta de apoio) Inox

    A durabilidade tende a ser a mesma de boinas de espuma, talvez um pouco menor dependendo dos defeitos que serão corrigidos com o disco.

    Uma das atividades que pretendo testá-la com destaque é: Meio de polimento em corte agressivo (remoção de marcas de lixa em pintura automotiva) com politriz roto orbital.

    Estarei em breve atualizando o blog conforme as novidades dos testes forem saindo.

    De antemão adianto que o mecanismo funciona muito bem e é muito versátil, à baixo custo.

    Um abraço pessoal!

    Até mais!