terça-feira, 21 de abril de 2015

Os diferentes tipos de massa automotiva e princípios de uso: Massa rápida / acrílica, massa plástica e massa poliéster - Quando usar cada uma delas? Como usar? Quais as diferenças entre elas?

Olá pessoal, tudo bem?

Muitas pessoas me enviam dúvidas sobre uso de massa nos reparos, não só automotivos na área de funilaria e pintura, mas também na área de micro pintura e até mesmo na construção civil e marcenaria. Nesse artigo iremos debater bastante o tema "massa para correção de defeitos", seja ela para uso automotivo (o qual é o nosso foco principal) ou em outras áreas.

Bom, primeiro de tudo, para que serve a massa automotiva?

Para correção de pequenas imperfeições na chapa, riscos profundos na lataria, pequenos amassados, pequenas batidas de pedra e danos mais profundos que em geral não são removidos com o uso de primers (fundos de pintura).

Como aplicamos a massa?

Normalmente com os seguintes acessórios:


  • Espátula celuloide: O mais comum mecanismo de aplicação da massa, sendo levemente flexível ao ponto de preencher bem a maioria dos médios danos que precisamos reparar. Facilmente encontrado em lojas de tinta.
  • Espátulas rígidas: Utilizadas normalmente para preenchimentos localizados aonde visamos um enchimento localizado em áreas completamente planas.
  • Espátulas de silicone flexível: São as famosas espátulas de cozinha, utilizadas com massas mais suaves como acrílica e rápida, à fim de preencher pontualmente pequenos danos e riscos. Amplamente utilizada na área de micro pintura.
  • Bisnagas com pontas: Utilizadas para preenchimento de união entre chapas de aço, frestas em madeira, emendas de pias de granito e etc, aonde precisamos selar as áreas para evitar infiltrações de água ou dar acabamento antes da pintura. Também utilizada para preenchimento localizado de riscos em áreas onduladas, como nas quinas dos veículos.
Quais os tipos de massa disponíveis no mercado?

Basicamente podemos dividir a massa automotiva em 3 grupos:
  1. Massa Rápida: São massas no geral com alto poder de preenchimento e alto padrão de acabamento para danos pontuais e pequenos, cobrindo perfeitamente sem produzir um acabamento poroso. Não são catalisadas, ou seja, secam por evaporação e são mais sensíveis à danos após o reparo. No uso em repintura, na maioria dos casos (para a maioria das marcas) devem ser aplicadas sempre após o uso do fundo ou composto que isole a chapa. Se aplicada em grande quantidade e em excesso, poderá trincar e se desprender facilmente da pintura, sendo muito mais sensível e suscetível à trincas que podem causar os famosos pés de galinha após a pintura.
  2. Massa Plástica: A evolução da massa rápida. Esta massa já é catalisada e normalmente possuí um catalisador líquido. A massa obrigatoriamente deve ser utilizada com o catalisador, sendo ambos misturados na proporção correta para o correto funcionamento. Em geral podem ser aplicadas na chapa nua e em superfícies devidamente lixadas. Possuí alto poder de preenchimento porém certo grau de porosidade após o uso. O lixamento é mais duro do que o de massas rápidas. Deve ser aplicada em até 5 minutos após a catalise, caso contrário ela irá secar e não poderá ser mais aplicada, perdendo aderência e capacidade de preenchimento, por ficar dura demais para uso. Seca em aproximadamente uma hora e possuí leve grau de flexibilidade. Se aplicada em excesso, pode trincar facilmente assim como a massa rápida, porém sua aderência é maior. São mais resistentes e possuem maior aderência que as massas do grupo "rápida".
  3. Massa Poliéster: A massa poliéster também é catalisada, porém o mecanismo de catalise é com um composto semelhante à massa, sendo mais fácil de utilizar do que a massa plástica com catalisador líquido, por ter seu mecanismo de mistura mais intuitivo e fácil. O catalisador normalmente vem em uma bisnaga. A vantagem da massa poliéster é, em termos gerais, possuir um acabamento mais fino e mais flexível do que a massa plástica, mais versátil, podendo ser utilizada inclusive no reparo de peças plásticas em áreas maiores do que a massa plástica. Embora seja mencionado que seu acabamento é mais fino que o da massa plástica, isso não deixa de fora o fato de ser uma massa com acabamento mais rústico que a massa rápida.
Agora que já temos uma visão geral sobre os 3 grupos principais de massa automotiva, aonde cada uma delas se encaixa?

Massa Rápida: 

Nos dias de hoje, dizemos que o Fundo (primer) PU faz a substituição desse componente na área da repintura automotiva. Antigamente a massa rápida era utilizada para tapar os poros e eliminar pequenas imperfeições do lixamento e aplicação da massa plástica. Muitos reparadores faziam o uso da massa rápida como meio de isolar a camada de massa plástica antes da repintura, seja para usar um fundo universal ou até mesmo partir diretamente para a pintura.
Portanto: A massa rápida não deve mais ser utilizada como meio de eliminação de imperfeições do uso de outras massas e compostos, esse processo fica à cargo do Fundo PU de enchimento ou isolamento (na maioria dos casos). 

Todavia, a massa rápida ainda é uma aliada para reparos que passaram batidos após a aplicação e lixamento do fundo pu no processo de pintura (sem a necessidade de reaplicação do fundo, por já ter uma coloração próxima ao fundo na maioria dos casos), ou em peças aonde precisamos remover pequenos danos pontuais antes de fazer a pintura sem exposição da chapa. Um dica de uso muito interessante é para remover pequenas marcas e riscos em borrachões e frisos laterais automotivos, como poderemos ver nos vídeos que serão postados no final do artigo. Outra finalidade para o uso da massa rápida é na área de micro pintura automotiva, servindo como mecanismo de preenchimento de riscos profundos antes de fazermos o reparo com tinta e verniz, por possuir lixamento muito fácil e alto poder de acabamento e preenchimento, evitando o aspecto poroso da massa plástica e poliéster, podendo inclusive na maioria dos casos ser aplicada e lixada uma única vez (dando o acabamento final em uma única aplicação). É uma massa muito suave para ser utilizada, de fácil aplicação e lixamento.

Não é recomendada para preenchimento em danos médios ou grandes, como pequenas ondulações de chapa com áreas ligeiramente grandes, pois possuí uma aderência menor do que as massas catalisadas, sendo também mais sensível ao destacamento.

Disponível em bisnagas e em latas, recomendo para uso pequeno (esporadicamente) a bisnaga pois a massa presente na lata tende a secar facilmente se não utilizada em um período de tempo razoável, ou seja, caso você use poucas quantidades regularmente abrindo e fechando lata diversas vezes, o ideal é utilizar a bisnaga pois ela se conserva por um período de tempo muito maior para o uso.

Massa Plástica:

Esse tipo de massa já exige mais paciência e atenção no uso, por ser um composto catalisado que se utilizado incorretamente, lhe trará problemas de aderência e dificuldade de aplicação e acabamento incorreto. O preenchimento é prejudicado conforme a massa vai secando no momento do uso, isso causa falhas de acabamento e até mesmo buracos.

Qual é a dica de uso? Catalisar pequenas partes de massa. Aplicar sempre em uma passada, evitando espatular muito a massa no reparo. Utilizar toda a quantidade de massa catalisada em até 5 minutos após a catalise. Obedeça muito bem a quantidade de massa e catalisador que deve ser utilizado junto com a massa plástica.

A massa plástica, ao contrário da massa rápida, pode ser utilizada para preenchimentos maiores na área de funilaria e pintura, além de ser amplamente utilizada no ramo residencial para vedação de diversas peças na área interna e externa, por possuir alta resistência a intempéries e alto poder de aderência. Pode também na maioria dos casos ser utilizada diretamente sobre a chapa nua na repintura automotiva, e em qualquer outro processo de reparo em chapas devidamente lixadas e preparadas para receber a massa. Possuí alto poder de enchimento, porém, para danos pequenos e pequenos riscos como os tratados em micro pintura, ela não é a melhor opção pois normalmente necessita de mais de uma aplicação para dar um padrão de acabamento desejado (uma demão, lixamento, outra demão cruzada seguida enfim do lixamento e acabamento final). Por secar por reação química, normalmente está pronta para lixamento antes da massa rápida. Na maioria dos casos ela irá secar em um período de uma hora.

Uma desvantagem é o fato de que na maioria dos casos os catalisadores são líquidos, dificultando a catalise intuitiva. Para isso, precisamos utilizar balanças para pesar e catalisar corretamente a massa conforme o vídeo abaixo:



O seu uso é muito versátil. Pode ser aplicada na maioria das peças da carroceria de um veículo, em vedações em construção civil e em peças que não vão sofrer torção e não necessitam de flexibilidade. É a massa mais fácil de se encontrar em lojas não só de artigos para pintura automotiva, mas também em materiais de construção à um preço convidativo, se tornando uma excelente opção ao famoso silicone e compostos mais fracos (não catalisados) para unir peças como calhas, tapar buracos em telhados e etc. É mais rígida para lixar do que a massa rápida.

Massa Poliéster:

A evolução da massa plástica, disponível em várias marcas e até mesmo com diversos padrões de acabamento e coloração. Se diferencia da massa plástica por ser mais fácil de utilizar e catalisar. Possuí em geral maior flexibilidade do que a massa plástica e o tempo de uso após catalisada é o mesmo (cerca de 5 minutos), embora na maioria dos casos tenha o processo de secagem mais rápido do que a massa plástica.

Utilizada nos mesmos cenários que a massa plástica, pode também ser utilizada em pequenos reparos de peças plásticas como para-choque e saias laterais automotivas.

O seu valor é normalmente maior do que a massa plástica, sendo um material mais focado à área de reparos automotivos. Não é fácil de se achar em lojas não especializadas, devido ao seu maior custo e até mesmo à embalagens normalmente maiores do que as de massa plástica.

Pode ser aplicada sobre a chapa nua ou em áreas devidamente lixadas no processo de repintura automotiva, possuí alto poder de aderência e alta resistência à intempéries e solventes após completamente seca.

Agora, vamos refletir sobre o uso de cada uma delas.

Massa Rápida:
  • Reparei uma pintura, ao final do lixamento do fundo, descobri um pequeno risco ou uma pequena porosidade da massa poliéster que não saiu no lixamento. Devo voltar à aplicar fundo? Não necessariamente. Você pode aplicar e lixar pontualmente a massa rápida ou acrílica para pequenos reparos, fazendo o lixamento com lixas P400 ou P600 e acabamento com P600 ou P800, sem a necessidade de reaplicar fundo na área da massa.
  • Micro pintura automotiva: Se você aplicar a massa plástica ou poliéster, o lixamento deverá ser efetuado com lixas mais grossas e a porosidade irá comprometer o reparo. Fatalmente você irá estender a área do reparo e irá necessitar de retoque.
Vídeos de reparos efetuados com massa rápida:

Exemplo de possível reparo após aplicação do PFV (preto fosco vinílico) ou Fundo PU:


Exemplo de reparo em peças flexíveis (frisos / borrachões das portas):



Exemplo de reparo em micro pintura automotiva:


Massa plástica ou poliéster:
  • Remoção de pequenos amassados e ondulações de reparos em chapas na repintura automotiva.
  • Reparos em para-choques e peças plásticas.
  • Reparos de danos em peças que serão repintadas ou retocadas com técnicas tradicionais (exceto micro retoques da área de micro pintura).
  • Vedações externas.
Exemplo de como utilizar a massa poliéster / plástica:



Como catalisar a massa plástica corretamente:


Como preparar a chapa ou peça para aplicar a massa poliéster ou plástica? 

Utilize lixas P220 ou mais agressivas.

Lixamento e acabamento:
  • Massa Rápida e derivadas: Por ser muito mais suave e proporcionar um alto controle na aplicação, podemos utilizar as mesmas lixas utilizadas para o lixamento do fundo PU, que seriam as P320, P400, P600 e P800.
  • Massa Plástica, Poliéster e derivadas: Por serem massas mais rígidas, normalmente fazemos o lixamento com lixas P220 (existem casos de rebarbas excessivas que podemos utilizar uma P120 ou P180 e finalizamos com a P220).
Ainda tem dúvidas sobre as diferenças entre as massas rápidas e massas catalisadas? Assista ao vídeo abaixo sobre outros aspectos e diferenças entre as massas automotivas.


Nota: Danos e amassados profundos devem ser tratados com repuxo, e não com massa, por dificuldade de acabamento.

Tentei reunir todo o meu material sobre massa e seus respectivos cenários de uso e aplicações práticas e teóricas, espero que tenham gostado do artigo e se gostaram, não deixem de escrever seu recado para nós e sugerir novos temas.

Forte abraço e até a próxima!



60 comentários:

  1. Olá Rodrigo. muito interessante as explicações em seus vídeos, parabéns, porém fiquei com uma dúvida, depois que eu aplicar a massa poliester ou plástica e após a secagem, ela provavelmente ficará com os poros ou fissuras.
    Eu gostaria de saber se ao invés de eu passar uma nova demão da massa plástica para corrigir essas imperfeições, eu poderia passar a massa rápida?
    Obrigado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode sim amigo, muitos funileiros utilizam essa técnica em suas oficinas, é algo que se bem utilizado surte o efeito desejado.
      Abração!

      Excluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Tenho uma dúvida, se eu for deixar a bike no preto fosco vinílico posso para corrigir imperfeições passar massa plástica ou rápida diretamente sobre o preto mesmo ou preciso fazer algo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Primeiro: https://www.youtube.com/watch?v=CzDcltK3iC8
      Depois: https://www.youtube.com/watch?v=bUsgy6sDzXc

      Excluir
  4. Bom dia, gostaria de saber se posso aplicar essa massa de poliéster para vedar um pequeno vazamento (um pingo/furinho) numa caixa d'água de fibra de vidro? Mas sem esvaziar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se tiver contato com a água não funciona amigo. Todavia, pode selar com cola para canos e depois aplicar a massa se a cola secar corretamente (não entendo do assunto de colas pvc e etc)

      Excluir
    2. Ah, então se ela não repele a água não servirá. Mas, obrigado pelo pronto atendimento.

      Excluir
  5. Bom dia, gostaria de saber se posso aplicar essa massa de poliéster para vedar um pequeno vazamento (um pingo/furinho) numa caixa d'água de fibra de vidro? Mas sem esvaziar.

    ResponderExcluir
  6. Muito bom dia Rodrigo, me chama Luiz, gostaria que você tirasse um dúvida minha. Estou com um carro para fazer uma pintura geral, o mesmo ê de fibra apliquei o primer pu somente nos locais onde fiz reparo. Gostaria de saber se terei problema de aderência pois vou cobrir toda pintura com tinta PU. Desde ja agradeço. Obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Recomendo que aplique sim o fundo pu nele todo. Abraço!

      Excluir
  7. Rodrigo bom dia, gostaria que tirasse um dúvida minha, estou com um carro de fibra vidro que realizei reparo na grade da frente e apliquei primer no local reparado. A dúvida é para pintar todo veiculo terei que aplicar primer nele todo, pois pretendo pintar com tinta PU. Terei problema com aderência do PU. Obrigado

    ResponderExcluir
  8. Respostas
    1. Certamente dará problemas. Não sei quais.

      Excluir
  9. Boa noite, esta massa preenche buracos. Estou querendo reformar a porta da geladeira que está com algumas partes comidas pela ferrugem
    . Obrigado

    ResponderExcluir
  10. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  11. Estou reformando uma bicicleta clássica, sofri um acidente com ela, que resultou em dois pequenos amassados no quadro (o maior tem 3.0cm x 1.5cm com um afundamento de aproximadamente 0.5cm no ponto mais profundo), qual massa seria mais indicada pra corrigir esses amassados?

    ResponderExcluir
  12. Olá Rodrigo pintei o carro depois da pintura notei q ficou buraquinhos e arranhões de má aplicação ou de até chaparia com pequenas imperfeições gostaria saber o q devo fazer antes de eu dar uma mão definitiva me aconselharam a usar uma lixa 800 com água nos lugares que ficou com. Buraquinhos e arranhões e depois do lixamento aplicar massa de correção e depois de aplicar lixar e pintar a dúvida é se eles estão corretos qual massa usar em cima da tinta PU e qual lixa usar meu zap 071 98811-6260 aí mostro foto do que te falei meu nome Wellington

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Recomendo retornar da etapa inicial pois a massa necessita de fundo, lixas grossas e repintura completa inclusive com reaplicação de fundo. Abraço!

      Excluir
  13. Amigo, para fazer um reparo numa peça do painel do carro (no caso, o dono anterior conseguiu destriur quase todos os encaixes onde ficam os parafusos do porta-luvas do meu golf :( .. daria pra utilizar massa plástica? Ela vai aderir bem pra modelar os locais novamente? A peça nova custa uns 500 conto, então quero tentar recuperar.. rs .

    Obg

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu já fiz algumas soldas con poliéster e funcionou bem amigo, mas não dá para dar acabamento lixando, tem que colar por traz senão fica visível.

      Excluir
  14. Boa tarde, gostaria de saber se você tem uma dica para a remoção do excesso da mesma(massa plastica) tem algum removedor? Ou só na pancada mesmo?
    Meu serviço foi em uma pia . Sobrou material e quero removê-lo está muito duro.
    Aguardo seu contato.

    ResponderExcluir
  15. O ideal é ver se não deve ser rebatido antes, ou seja, aquecer e diminuir o amassado. Para pequenas correções pode sim. Preços não tenho como passar, sugiro que faça orçamento em sua região.

    ResponderExcluir
  16. Qual e a melhor massa plastica do mercxado?

    ResponderExcluir
  17. Olá,

    por quanto tempo um carro com massa plástica aplicada pode circular sem pintura ?? Existe uma forma de proteger a massa até pintar ?

    ResponderExcluir
  18. Olá Rodrigo me tire uma dúvida, estou fazendo um experimento e quero usar a massa plástica para dar acabamento numa banheira que estou confeccionando a dúvida é se essa massa dara problema se usada numa superfície com água? Pretendo passar a massa plástica para moldar e passar a resina de fibra de vidro por cima da massa plástica impermeabilizando-a, vc acha que dará certo? Obrigada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode usar sim amiga, sem problemas. Verifique somente trincas que gerem infiltração, tape com massa sempre.

      Excluir
  19. Bom dia. Sofri um acidente e os airbags foram acionados. O painel do fusion 2012 ficou detonado. Atualmente não poderei trocar, será que tem como restaurar com essas massas?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Recomendo procurar um restaurador de painéis / carros antigos e verificar sobre o possível concerto.

      Excluir
  20. Boa noite amigo! Queria tirar uma dúvida, eu tenho duas rodas do meu carro raladas, mas são coisas bem pequenas e nada profundo. Eu comprei massa plastica e também a massa rápida. Qual delas para esse tipo de finalidade eu devo se usar?

    ResponderExcluir
  21. Boa noite amigo! Queria tirar uma dúvida, eu tenho duas rodas do meu carro raladas, mas são coisas bem pequenas e nada profundo. Eu comprei massa plastica e também a massa rápida. Qual delas para esse tipo de finalidade eu devo se usar?

    ResponderExcluir
  22. Bom trabalho o seu parabéns , tenho uma dúvida posso usar uma pistola de baixa pressão em um compressor grande de 175 litros?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu que agradeço ! Algumas pessoas falam que estoura a pistola outros que ela só pulveriza

      Excluir
  23. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  24. Olá eu sou adenilson gostaria de saber se eu posso usar a massa poliéster sobre o fundo a fim de preenche pequenos defeitos e se essa massa vai fiquisar com a mesma resistência sobre o praimer como se fosse na chapa virgem?

    ResponderExcluir
  25. Oi! Acabei raspando parte plástica cromada do meu carro, comprometeu bem numa parte de quina. Qual massa seria a melhor opção? E há possibilidade da pintura cromada ficar perfeita?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poliéster, a cromagem tem um processo específico amigo.

      Excluir
  26. Ola amigo, tenho um freezer que acabou enferrujando a porta na parte de baixo.
    Pensei em lixar tudo e tapar os burracos de ferrugem com massa... isso é possivel? sabe me dizer como devo proceder? POis nunca mexi com nada disso.

    Desde ja agradeço e parabens pelo blog bem explicativo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Recomendo usar solda amigo um abraço obrigado.

      Excluir
  27. Rodrigo, parabéns pelas explicações e vídeos. Possuo a seguinte dúvida, irei realizar um reparo em meu veículo com massa plástica para poder envelopar, sabe me dizer se após o lixamento da massa haverá aderência para o adesivo? obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado amigo! Sim, haverá mais aderência com a pintura e massa lixados do que sem lixar. Abraço!

      Excluir
  28. Comprei um capô novo tenho que passar massa nele para pintar desde já agradeço

    ResponderExcluir
  29. boa noite!
    preciso fazer um pequeno reparo no para-choque (encostaram nele e saiu uma lasca de tinta aparecendo o preto do plástico). pensei em usar massa rápida pra igualar a superfície. sobre ela é necessário aplicar um primer? se sim, qual o primer ideal? minha ideia é fazer esse reparo com tinta automotiva em spray. obrigado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. Depende do tamanho do dano, mais de três dedos e uma lasca grande tem que usar poliéster. O fundo eu uso somente PU altos sólidos. Abraço!

      Excluir
  30. qual o tempo de secagem da massa poliester para poder lixar

    ResponderExcluir
  31. Ola Rodrigo.
    Por favor me tire uma duvida.
    tenho um batente de ferro na porta do meu escritorio que ja esta pintado, so que o batente descascou em alguns pontos e estou querendo pintar da mesma cor sem remover a tinta antiga qual a massa mais indicada para eu acertar os descascados e pintar de novo

    ResponderExcluir
  32. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  33. Olá Rodrigo, Aqui Luciano de MG queria saber se eu consigo recuperar um aerofólio do Gol Quadrado que rachou na parte traseira se eu aplicar essa massa poliéster consigo resolver o problema ok.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala meu amigo!
      Se você não soldar a trinca antes não adianta. Abraços!

      Excluir
  34. oi amigo!Para pequenos reparos na massa de vidro de uma janela posso usar a massa plastica?

    ResponderExcluir
  35. Olá... mandei pintar as tampas do cabeçote em eletrostática, mas erraram a mão no jateamento e a superfície ficou toda irregular. Penso em lixar levemente a pintura, nivelar e aplicar tinta PU. A massa poliester resistirá ao calor?

    ResponderExcluir